08/02/2017

Luciana e Allan. Jardim Botânico, Rio de Janeiro.

Gestantes

Para ser sol, seja também a lua e todas as estrelas do firmamento.

Para ser corpo, há de ser carne, água, membro, pele.

Para ser estreia, faça-se estudo, ensaio, texto e suor.

 

Para ser grande, seja no todo a completude da parte.

Faça do pequeno, ainda semente, raiz profunda e fecunda.

 

Aí serás eternamente universo.

 

 

Quando o ventre se torna doce invólucro do sagrado, os pais sabem que, então, fazem parte de um plano maior, a vontade universal ou divina de participar do destino. É nas coisas miúdas que nos tornamos fortes. E é bem pequenino que nasce o amor de uma vida. Minha amiga Luciana, sempre sensível, sabe bem que toda a sua vida já foi tocada por essa transformação. Guilherme já repousa lindo e forte nos seus braços…

 

 

 
CATEGORIES
SHARE